12 de janeiro de 2009

Conversando com o self.

- O que vem a ser a realidade?
- O meio que te cerca.
- Isto é algo absoluto ou dependente de interpretação?
- Depende de sua interpretação
- O que interpreto como real?
- Imagens, sons, emoções, sentimentos e qualquer outra experiência que venha a ser sentida.
- Se me falta um sentido, não perco a realidade?
- Sua realidade se altera.
- Tenho como perder a noção da realidade?
- Da realidade alheia, sim.
- E da minha?
- Não.
- Por que não?
- Não é óbvio? O que você vivenciar será sua realidade.

- E se eu não gostar da realidade?
- Você pode fugir.
- Não quero fugir da realidade.
- Porque fugir pode ser mais doloroso.
- Então estou preso a realidade?
- Você ainda pode fugir.
- Não sou um covarde!
- Na interpretação de quem?

- Como posso fugir de algo que me rodeia?
- Só você sente o que te rodeia.
- Não consigo parar de sentir!
- E isto é ruim?
- Isto me faz sofrer!
- Quem gera a dor?
- Não sei...
- Existe mais alguém que controle sua realidade?

- Então a felicidade só depende de mim?
- Óbvio.
- Mas sem noção da realidade irão me chamar de louco!
- Esta é a realidade alheia.
- Eu sofro com ela.
- Novamente gerando sofrimento?

- Então um louco pode ser feliz?
- Não será ele mais feliz que você?

- Por que eu me sinto assim?
- Porque você interpreta seu estado como ruim.
- Por que?
- Porque te ensinaram isso.
- Ensinaram o que?
- Que estar abaixo dos outros é ruim.

- Como assim?
- Você interpreta como infelicidade o fato de ter menos que outro.
- Não sou egoísta!
- Mesmo?
- Sim!!!
- E por que ficasse triste ao saber que seus amigos estão namorando?
- Porque... Eu também queria uma namorada.
- Bingo.
- Mas...
- Se você arrumasse uma namorada antes que eles você não ficaria feliz?
- Não sei...
- Se fosse o primeiro a ter um carro...
- Pare...
- Ou o primeiro a abrir uma empresa...
- Pare!
- Ok.

- Não sei o que faço...
- Oh, meu Deus. Não entendeu nada do que eu falei?
- Eu tenho medo.
- Do que?
- Dos outros.